segunda-feira, 15 de julho de 2013

Que vergonha Sr. Prefeito de Orós!


video
 
A fala do Prefeito já é auto-explicativa:

“Enquanto várias pessoas, centenas de pessoas são Funcionários efetivos do município e tentam levar a administração, levar o município pra trás”.

 De qualquer forma, mesmo tendo sido tão claro ao emitir essa sua opinião quero aproveitar a oportunidade e fazer alguns comentários a esse respeito.

A frase acima foi dita numa reunião com pessoas que serviam temporariamente à Prefeitura, e, num momento em que queria elevar o grau de importância de tais pessoas para nosso Orós, soltou essa pérola. Que pobreza de raciocínio. Embora reconheça que toda cidade contrata pessoas para serviços temporários, que são de grande importância, não precisava, DE FORMA ALGUMA, desmerecer a classe concursada Oroense.

“Enquanto várias pessoas, centenas de pessoas são Funcionários efetivos do município e tentam levar a administração, levar o município pra trás”.

Funcionários Públicos, que estudaram e se esforçaram para passar em Concurso são o verdadeiro patrimônio de qualquer ente federado. Entra gestor, sai gestor, Servidor efetivo fica. São os braços que moldam os contornos do município seja com gestores bons, seja com gestores de visão distorcida. São eles que ficam enquanto os gestores passam.

Tento imaginar nesse momento se, em tantos anos, os funcionários Oroenses não estivessem cooperando e dando o melhor de si. Qual Prefeito teria construído obras com suas próprias mãos, ensinado em salas de aula com crianças e adolescentes ou horas e mais horas dedicando-se ao preenchimento de planilhas e cálculos complexos? Só alguém perturbado em seu juízo pode achar que faz alguma coisa sem contar prioritariamente com os efetivos em qualquer local do Brasil.

“Enquanto várias pessoas, centenas de pessoas são Funcionários efetivos do município e tentam levar a administração, levar o município pra trás”.

Orós é realmente construído por funcionários efetivos que representam o esforço pela estabilidade e não por pessoas que já entram com data marcada para sair de seu posto: 31 de dezembro de 2016.

Como sabiamente falou uma professora de Orós, não há como esse Senhor valorizar o esforço intelectual, uma vitória intelectual fruto de estudo e dedicação pois ele não faz idéia do que seja isso. É impossível pra ele saber o valor de uma pessoa que luta pra passar num Concurso Publico e adquirir estabilidade. Por não saber o que é, não valoriza os que o fazem nem sua conquistas.

“Enquanto várias pessoas, centenas de pessoas são Funcionários efetivos do município e tentam levar a administração, levar o município pra trás”.

Depois de ouvir tamanho desrespeito passo a entender que o Prefeito de Orós não cumpra o Plano de Cargos como prometeu durante a campanha e até registrou sua promessa em cartório. Ele pensa que o funcionário atrapalha ou como disse “que tenta levar o município pra trás” e, portanto não acha errado atrasar sistematicamente seus salários...

Deveria se envergonhar de frase tão tola e pedir perdão a todos aqueles que já estavam lá antes de sua chegada; que já trabalharam duro pra elevar o nome de Orós. Se começasse a pagar em dia e honrasse a palavra que deu na campanha quanto ao PCC já seria um passo.

“Enquanto várias pessoas, centenas de pessoas são Funcionários efetivos do município e tentam levar a administração, levar o município pra trás”.

Onde há injustiça deve haver luta: para mudar ou para punir o injusto. A resistência a esse tipo de desrespeito deve ser ativa e provocadora. Tem poder quem age, não é quem tem mandato. Tem poder quem age na direção certa. “Quem sabe faz a hora não espera acontecer”.





Pronto. Terminada minha postagem sabemos o que acontecerá. O Prefeito, por não ter condições de responder, pedirá a qualquer um de fora que faça por ele para comprovar 2 coisas que eu sempre disse:

1.     Que ele não é capaz.

2.     Que ele não enxerga um só Oroense com capacidade mínima de escrever poucas e péssimas linhas.

 
Mas não vamos desencorajar o rapaz. Há um mérito nisso: ele, pelo menos tem consciência de sua incapacidade. Há aqueles que escrevem um monte de besteira, fogem do assunto, me chamam de formosa (Obrigada, mas eu já sabia. Aliás, todos já sabiam. Ta na cara!) e descrevem a vaidade, a arrogância, o apego ao poder, dentre outras coisas com um grau de detalhismo tão grande que não me resta outra alternativa a não ser concluir que ele sofre desses males.

E ainda é crente que ta abafando...

Bjs a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário